sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Devaneios no Firmamento - O Problema da Língua

     O Problema da língua.


     Este é um problema que me acompanha, desde sempre
     É praticamente um problema cultural em muitos círculos sociais.
     Conheço pessoas que tem tanto veneno, que se morder a própria língua, morre envenenada. E também conheço pessoas que falam da vida alheia com tanta naturalidade, que parece até lhe dizer respeito. Eu conheço também pessoas que apontam os defeitos das outras pessoas como se tivessem este direito.
     E o real problema a que isto consiste, é que machuca.
     As pessoas, costumam colocar desculpas para esconder sua maldade. Coisas do tipo “falo por que me preocupo” ou “mas é verdade mesmo”. Mas o que eu não entendo, é se a preocupação é genuína, por que não procura a “vitima” do falatório então, e fala diretamente pra ela? Como é, que expor uma pessoa, explanando suas opiniões (muitas vezes errôneas) pode ajuda-la?
     Pois eu tenho uma sugestão, pra todo o mundo que sofre desse mau (aliás, pra todo o mundo mesmo). Todos os dias, pela manhã quando você acordar, e der bom dia pra você mesmo em frente ao espelho (se você não faz isso ainda, faça!). Pense no que você fará hoje, para ser uma pessoa melhor do que foi ontem. Mas seja sincero com você mesmo. Queira de verdade tornar-se uma pessoa melhor a cada dia! Você vai perceber, que quanto mais se preocupar em ser uma pessoa melhor, e quando de fato começar a tornar-se uma pessoa melhor, vai sobrar menos espaço na sua cabeça e no seu dia, pra fazer pior a visão que você faz das pessoas que te cercam. E vai começar naturalmente, a julgar menos as atitudes dos outros, e vai começar a considerar mais o que realmente importa.
     E que se alguém te faz bem com uma simples presença, então vale a pena tentar mantê-la próxima. E para isso, a melhor receita é ser sincero. E não distribuir suas opiniões maldosas e mal sustentadas à respeito dela a quem sequer está interessado. E não fazer julgamentos levianos sobre suas atitudes, quando você não conhece os motivos e motivações dela.
     Agora, em contraparte, se a simples presença de alguém te fere de qualquer maneira que seja. Se afaste. Simples assim. Não há necessidade compartilhar a sua opinião, nem tampouco, influenciar a opinião dos outros. Apenas livre-se do que te incomoda.
     É importante também, não esquecer que todos nós temos defeitos, como seres imperfeitos que somos. E, se você não tiver nada de construtivo a dizer sobre alguém, não diga nada!
     Se conseguíssemos fazer isso, então teríamos uma convicência bem mais saudável.

Um comentário:

Jean-James Poet disse...

Belo blog garota, parabéns! Visual lindo, conteúdo profundo!

Postar um comentário

 
;